sexta-feira, 17 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: PROMETO FALHAR

SINOPSE: “Prometo Falhar” é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa . Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.


Oi minha gente! Tudo bom? Eu demoro, mas volto. Bom, vamos falar da resenha (na verdade essa não é bem uma resenha) de um romance do escritor português Pedro Chagas Freitas. Esse livro tem estampado em sua capa como fenômeno de vendas em Portugal. No entanto, não me apaixonei tanto assim por ele e fiquei me culpando por não estar gostando dele. Como assim é fenômeno de venda e eu não gostei?!


Até começar a entender que não se tratava de um livro muito comum. Na verdade, é um livro que fala de amor. O amor em todas as esferas e por todas as pessoas que passam por sua vida ou na vida das pessoas que são descritas entre os capítulos. É uma mistura de crônica, poesias, declarações. Ressaltando sempre como sentir o amor dentro de si se torna importante para manter-se vivo. Sem amor nada tem sentido.


Eu sou romântica sim e adoro ler um romance, mas achei meio difícil ler uma história que não tem começo, meio e fim e também não possui personagens concretos. A narrativa é boa, no sentido da escrita, melhor dizendo o vocabulário é muito diverso (palavras difíceis até palavrões). Bom, algumas partes as narrativas possuem conotação sexual, é bom avisar caso não queria se deparar com este tipo de vocabulário. Não é nada grave como um todo, é mais no sentido do: “eu te amo tanto p***”, entendeu? (risos).


Alguns trechos são emocionantes, te deixam pensativo, outras histórias, confesso que me perdi um pouco no desfecho. Algumas narrativas são feitas em primeira pessoa. E por esta mistura de história e tipos de interações o acho muito criativo.  Gostei do livro, mas é bom se preparar, pois não há uma história central – a não ser sobre o amor, amar. Para quem gosta de crônica ou de coisas desconexas é uma boa dica. De todo modo será uma boa leitura. É que eu estava com outras expectativas quando iniciei este livro. Lembrando que como originalmente o livro é escrito com o português de Portugal, foram feitas algumas adaptações para o português do Brasil. Mas, fiquem tranquilos o Pedro escreve muito bem, e tenho certeza que será uma leitura proveitosa independente do tipo de história que encontrar no caminho. Espero que gostem. Até a próxima!


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: GREISI SILVA
28 anos, administradora e artesã nas horas vagas, apaixonada por leitura e artes, não vivo sem música, poesia e cinema. Descobri que viajar é preciso e comer pipoca é fundamental para se ter boas ideias.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: CRÔNICA DE UM HOMEM QUE NÃO SABIA DANÇAR: (OU O BALÉ DA LIBERTAÇÃO DE PENSAMENTOS PERDIDOS)

SINOPSE: Coletânea de histórias curtas sobre o cotidiano.


“[...] todos sabemos como ser feliz. Cada um sabe do seu. A única coisa que nos impede é o medo. Medo do novo, do escuro. Talvez seja esse o motivo de tudo começar (na teoria) na segunda-feira, temos tempo para desistir.”

Este é um livrinho de crônicas sobre nosso cotidiano, sobre a rotina, sobre a alienação, corrupção, egoísmo, amores e sobre as pequenas coisas que deixamos passar e que já não damos mais valor. São crônicas curtinhas, mas com um grande impacto.


Não posso deixar de dizer que senti as variadas emoções, os sarcasmos impostos, as metáforas, os pensamentos do autor sobre a vida, o que fazemos de nossas vidas, além de conseguir trazer o prazer da dança, da música ao ser realmente ouvida e sentida da melhor forma que eu já li descrita. Com anos da minha vida nesse mundo da dança, da batida, da harmonia correndo em minhas veias, ressenti tudo isso nas poucas palavras do autor.


“Como disse um professor certa vez, se você sabe caminhar, saberá dançar, e isto é uma verdade incontestável. Outra verdade é que o principal sinônimo da palavra dança é autoestima. Não existe restrições quanto à idade, peso ou altura. O casal perfeito não é o mais bonito, tampouco o mais esbelto. Sim o que flutua.”

Bruno Mota consegue passar várias sensações, vários assuntos, várias reflexões em tão pouco tempo de leitura, que tenho a maior certeza de que irá se apaixonar por sua escrita poética, suave e flexível como uma bailarina flutuando no ar numa apresentação de Ballet.


“Amar hoje é fazer uma selfie com o (a) amado (a) e postar na rede social favorita esperando a aprovação de uma centena de desconhecidos. Amar deixou de ser, para muitos, um sentimento e virou uma vitrine, ou seria um status?”

Por ser um pequeno livro, não tenho como expor personagens, nem tramas, pois não existem, mas se há de encontrar muito mais que isso. O livro está disponível gratuitamente na Amazon, não só para quem tem Kindle Unlimited. Baixei-o pela capa e pelo titulo, não fiz escolha mais acertada. Se o livro fosse em versão física, com certeza estaria cheeeio de post it marcando minhas partes favoritas! Obrigada!


“Dentro de um abraço somos todos iguais, capazes e felizes”.


“Não transformemos o amor em uma roupa, o amor não está na moda. A moda acaba com as pessoas, destrói a personalidade, te força a algo. Se seu amor envolve isto, lamento. [...], por favor, não siga uma moda que você possa se arrepender no outro dia. Roupas não têm sentimentos."

VITAMINAS:

RESENHA ESCRITA POR: KAROLINA V. S. MELO (Karol Melo)
21 anos, mora atualmente no interior do Paraná. Depois que descobriu o mundo da ficção se tornou uma leitora compulsiva. Ama músicas que a inspirem, e séries de suspense policial, mas não nega um romance clichê. É escritora no blog Verdades e Poesias e sonha em publicar um livro para chamar de seu.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: AO DISPOR DO SEU AMOR

SINOPSE: Um homem com um dever... Christian Cunninghan sabia de suas obrigações e não estava disposto a arcar com elas. Rebelde, buscando seu próprio caminho, e fugindo das amarras que o sufocavam, percebe que juntar-se ao exército e partir é sua melhor escolha, e melhor opção. Unida ao inexistente... Prometida em matrimônio, ainda muito jovem, Luciane Hogarth sabia que seu destino já estava traçado. Portanto, na ausência do esquivo noivo, aproveita a liberdade que ainda lhe resta, antes de se ver irremediavelmente presa a um casamento de conveniência, com um completo estranho. Uma união não desejada, um compromisso ao qual não queriam cumprir, um futuro que lhes parece desolador... Agora Luciane e Christian vêem-se frente a frente. E diante de tudo o que tentaram evitar. Então irão descobrir que o amor também é cura...


Oi pessoal! Estava com saudades já! Hoje vamos conversar sobre o terceiro livro da série Libertinos da autora Silvana Barbosa. Você pode conhecer as demais obras da autora nos links abaixo:


Bom, estava muito ansiosa para ler o terceiro livro da série e conhecer mais sobre o Christian Cunningham. Chris fez da guerra à perfeita oportunidade de se ver livre das vontades e imposições de seu pai. Entretanto, sendo seu pai um perfeito controlador, o patriarca resolve então noivar seu jovem filho libertino com a bela donzela Luciane Hogarth. Adivinhem só quem odiou essa ideia? Claro que foi o Christian. Mesmo ele sendo um libertino, o jovem possui um senso de honra incrivelmente belo. Sendo assim, nada mais tem a fazer, a não ser honrar a decisão de seu velho controlador pai. Durante cinco longos anos Christian luta junto ao grupamento. O seu desejo era ficar mais e mais tempo lá. Mas como nem tudo na nossa vida é como desejamos, uma grave acidente faz com que ele se veja obrigado a retornar a sua cidade.


"— Nossos pais decidiram nossa união, e mesmo assim eu a estou cortejando, independente do quanto está selado nosso destino, senhorita Luciane."

Lembram-se da jovem donzela? Então ela não era tão bobinha assim, e seu maior desejo era que o seu jovem noivo nunca retornasse da guerra. Assim sendo, Luci fica extremamente desapontada ao saber que seu noivo retornará. Não que Luci desejasse a morte do jovem Major. Ela apenas queria se ver livre de um acordo que não desejava. Não tendo muito que fazer, o jovem casal se conforma com o destino que lhes foi apresentado e juntos vão tentar fazer o acordo selado por seus pais dar certo.


"Aquela de olhar doce e riso fácil era sua noiva, seu coração, seu amor."

A vida é mesmo uma caixinha de surpresas né? O Major Christian, libertino assumido se vê apaixonado e disposto a fazer de sua noiva a esposa mais feliz do mundo. Já Luciane, enxerga o noivo apenas com um bom amigo. Será que o jovem major é capaz de conquistar o coração de Luciane? Isso só você lendo mesmo. A história é linda e direta. Gosto muito disso na escrita da autora. O livro não tem aquela famosa enrolação que alguns romances de época possuem. Fico muito feliz de presenciar o crescimento da autora. Silvana une as três histórias perfeitamente e mesmo que o leitor não queira ler os demais, ele é capaz de compreender toda a história do livro Ao Dispor Do Seu Amor. A diagramação do livro é linda, uma capa maravilhosa, que não foge do conceito dos demais livros da série. Assim como os demais livros da autora, você pode encontra Ao Dispor Do Seu Amor na plataforma digital Amazon. Bem, por hoje isso tudo! Até mais... 

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
25 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!

terça-feira, 14 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: TRÊS COROAS NEGRAS

SINOPSE: A cada geração na ilha de Fennbirn nascem rainhas trigêmeas - três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões. Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder - é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa. Na hora de reinar, apenas uma restará.


Na Ilha existem Três Coroas, mas apenas um Trono e para sentar nele Arsinoe, Katharine e Mirabella precisam fazer um grande sacrifício. Matar umas as outras. As trigêmeas foram criadas longe uma da outra e cada uma aprendeu a dominar uma dádiva diferente, pelo menos na teoria. Arsinoe foi criada pelos Naturalistas e sua dádiva deveria permitir que ela controlasse plantas e animais, mas a verdade é que ela nunca, nem se quer conseguiu fazer uma rosa desabrochar. Ao contrario de sua guardiã, Jules, que não só é poderosa o suficiente para florescer uma floresta inteira como também tem um puma como Familiar. O animal tem sua vida ligada a dela e os dois lutam lado a lado para proteger a fraca e rainha Naturalista.


Katharine não se saiu muito melhor que a irmã, como envenenadora ela deveria ter tolerância a todos os tipos de venenos assim como ser capaz de curar envenenados. O problema é que os venenos que Katharine é obrigada a ingerir desde pequena a fizeram ficar franzina e frágil, além de a deixarem terrivelmente doente. Mirabella é a única rainha que domina sua dádiva e como se não bastasse ela tornou a mais poderosa elementar dos últimos tempos. Com um talento impressionante para lançar raios e atiçar fogo nas coisas todos apostam que ela será a próxima rainha a se sentar no Trono.


Três rainhas sombrias,
Num vale
Vem ao mundo.

Quando o aniversario de dezesseis anos das rainhas chega, as tradições para escolher qual delas triunfará têm inicio. Temerosa que a aparência frágil de Katharine desencoraje as pessoas a apostarem nela, sua mentora Natalia, pede a ajuda de seu sobrinho Pietyr. A tarefa do garoto é dar uma vantagem a rainha na competição. Porque se ela não é forte o suficiente para ganhar por sua dádiva, ela precisará usar outras armas, armas com as quais a doce Katharine não está acostumada a lidar. Como a sedução. Os dois começam um perigoso jogo para seduzir os pretendentes a futuros reis, porque sabem que uma vez que eles forem fisgados pela beleza da envenenadora eles farão tudo por ela. Inclusive envenenar suas irmãs. Com os venenos sendo retirados de sua dieta, Katharine parece cada dia mais forte e saudável. E os planos de Natalia para garantir que o longo legado de rainhas envenenadoras se perpetue estão cada vez mais próximos de se concretizarem. Aos poucos Katharine vai se moldando na imagem de uma rainha poderosa que não teme a nada, exceto, talvez, o seu coração. 


Pequenas doces trigêmeas,
Nutrem um ódio profundo

Enquanto isso Arsinoe, que sempre foi tida como a mais fraca das irmãs resolve agir. Depois que Joseph, seu amigo que tinha sido mandado para o exílio por tentar ajudá-la a fugir, retorna do continente trazendo um pretendente para conhecê-la, Arsinoe sabe que precisa lutar pelo seu direito ao trono. Como Joseph é o amor da vida de Jules, sua guardiã fica distraída pela volta do amado e Arsinoe começa a usar magia baixa. Como alguém que, aparentemente, não possui dádiva essa é sua única saída. Apesar de saber que usar esse tipo de magia, sempre cobra seu preço ela não teme e explora cada vez mais seus limites. Chegando ate mesmo a fazer uma magia de amor para ligar Jules e Joseph, uma magia que ela se arrepende e logo descarta mesmo sabendo dos riscos. 


A quebra dessa magia leva Joseph direto para os braços de Mirabella, a irmã mais poderosa de Arsinoe. Fato que quebra o coração de Jules. Mas a rainha não está disposta a desistir e logo volta a usar magia baixa para conseguir um Familiar. A magia falha e o grande urso que Arsinoe chama acaba se voltando contra ela e rasgando grande parte do seu rosto. Mais fraca do que nunca, Arsinoe resolve tentar fugir mais uma vez do seu destino quando seu pretendente lhe informa que as sacerdotisas do templo pretendem assassinar Katharine e ela e coroarem Mirabella como uma Rainha de Mão Branca, uma rainha que não usa suas próprias mãos para matar as irmãs. Mesmo sabendo que pertence a ilha, a naturalista tenta escapar de seu destino, seguindo seu coração.


Três irmãs sombrias,
Lindas de se ver

Já Mirabella é a única irmã que se lembra da infância, a única que ainda ama as irmãs. Manipulada pelas sacerdotisas do templo que tentarão de tudo para se erguer usando o poder da rainha elementar, ela se vê cada dia mais atormentada. Seus poderes queimam em suas veias e apesar disso, são os sonhos que a enlouquecem. Sonhos em que ela mata as irmãs que tanto ama pelo trono. A doce Katharine e a selvagem Arsinoe. Mirabella resolve que fugir é a única maneira de evitar que a forcem a fazer algo horrível, no meio do caminho ela encontra um jovem que se afogava e salva sua vida. Juntos Joseph e Mirabella tem uma apaixonada noite de amor, mas o coração de Joseph pertence a outra. Arsinoe vê a presença de Mirabella tão próximo ao limite de suas terras como uma ameaça, ela vê em Mirabella uma sede de sangue que não existe.


Quando a rainha elementar é arrastada para casa, ela sabe que jamais poderá matar as irmãs e também sabe que não poderá fugir. A única coisa que a conforta é pensar em sua noite na praia com Joseph, mesmo que saiba que isso só fará o ódio de Arsinoe por ela aumentar. As sacerdotisas, quando percebem a falha causada pelo coração bondoso de Mirabella, resolvem tomar a situação em suas próprias mãos. Como tanto Arsinoe com Katharine, aparentemente não tem dádivas, elas querem coroar Mirabella sem que ela precise matar as irmãs. O plano é que as próprias sacerdotisas tirarão a vida das demais rainhas, não deixando duvidas da legitimidade de Mirabella.


Duas a serem devoradas,
E uma rainha por ser

A falha no plano das sacerdotisas é que as outras duas rainhas não pretendem cair sem lutar e apesar de não possuírem dádivas, as duas tem algo a seu favor. Quando a Aceleração finalmente chega, Katharine devora um banquete cheio dos mais poderosos venenos do mundo e Arsinoe esconde suas cicatrizes e chama um grande urso negro como Familiar. Em meio a tanta demonstração de poder, o fogo e os raios de Mirabella podem não ser o suficiente para que ela tenha o apoio do povo.


— Eu não fui uma rainha sem dádiva todo esse tempo, Jules. Incapaz de fazer brotar um broto de feijão ou deixar um tomate vermelho. — A voz dela fica mais alta e rápida ate que ela se dá conta e se aquieta. — Todo esse tempo eu pensei que não fosse nada. Mas eu sou, Jules.
Arsinoe levanta os olhos e sorri.
— Eu sou uma envenenadora.

Três Coroas Negras me surpreendeu, porque apesar de gostar da ideia da história logo de cara, eu já tinha ouvido muita coisa ruim sobre o livro e não estava esperando algo excepcional. Acho que pelo fato de quase não ter romance o livro pode desencorajar pessoas que gostam mais desse gênero, mas não deixa a desejar em ritmo ou conteúdo.


A caracterização dos personagens é rasa, sendo que Arsinoe é a rainha mais bem trabalhada e que tem o melhor arco. Mirabella é muito melodramática e Katharine, apesar de ter uma história forte é muito desbotada, com uma personalidade maleável demais e que não deixa nenhuma impressão. O final é surpreendente e sinceramente me deixou com a pulga atrás da orelha. A esperada continuação, Um Trono Negro, já foi lançada no Brasil e eu mal posso esperar para saber qual das nossas rainhas realmente vai usar uma coroa.


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: CAROLINA SIQUEIRA
Carol Siqueira, 21 anos, é estudante de Odontologia pela Universidade Positivo e quando não está deixado o sorriso das pessoas mais bonito, ela passa seu tempo lendo histórias sobre criaturas mágicas, que eventualmente se apaixonam, ou escrevendo algum resumo bobo na varanda de sua casa e não perde a oportunidade de adicionar mais um livro a sua coleção de preferidos.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: A ALCATEIA

SINOPSE: "Vem Lobo! Coroa-te no sangue dos apressados!" Rituais de morte se espalham pela cidade de Curitiba e cabe ao Investigador da Homicídios, Flávio Patrezzi, impedir a propagação do horror causado pela Alcateia. A ajuda de seu consultor, Alexandre Matsui, será imprescindível para que encontrem os responsáveis por estes crimes bárbaros numa caçada que os levará aos corredores labirínticos do próprio Inferno.


Olá, leitores! Lembram de mim??? Para conferir minha resenha anterior, clique aqui! Hoje estou escrevendo sobre este livro que, confesso, me deixou de boca aberta e me surpreendeu muuuito positivamente. Com uma escrita simples, Glauco consegue te cativar ao contar a história do policial Flávio Patrezzi e seu consultor Alexandre Matsui que é um caçador médium, em sua busca por solucionar o caso de uma seita que está fazendo rituais macabros na cidade de Curitiba, o que faz com que os dois passem por lugares como o próprio inferno e contém até com demônios para conter os crimes bárbaros que a Alcateia está causando.


Além de muito bom, o livro desperta os sentimentos de raiva e nervosismo que tanto admiro nas histórias que leio. Devo elogiar muito este escritor por dois pontos em especial:
1º: Ele conseguiu me prender a uma história em PDF (GEEEEEENTE, COMO ASSIM???). Sério, parece ser algo sem importância, mas por diversas vezes comecei livros digitais e não consigo me prender a eles, sinto uma grande necessidade de ter o livro físico em mãos (pode considerar uma indireta sim, Glauco!)... E NEM UM PDF ME FEZ PARAR!!!


2º: COMO ASSIM É SEU PRIMEIRO LIVRO SR. GLAUCO?!?!?!?!?! Gente, não dá pra acreditar. Que primeiro livro bem feito!!! Se ele escrever mais livros nesta mesma linha já terá uma leitora fiel. E com toda certeza já tem uma fã!!! <3 Estou me perguntando até agora que tipo de mente louca esse doido tem, mas parabéns (e muito obrigada!!!) por inventar e por no papel essa maravilha!


PARA CONFERIR A ENTREVISTA QUE O AUTOR GLAUCO J. S. FREITAS DEU PARA O BLOG CLIQUE AQUI!

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: TAY RAMONE
18 anos, catarinense, estudante de medicina veterinária, apaixonada pela leitura. Tem um amor imenso por Stephen King, Ramones e animais.