quinta-feira, 1 de junho de 2017

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: IRMÃOS STTRIDER E O HERDEIRO PERDIDO

SINOPSE: James Lins é um garoto que vive sufocado pelos pais super protetores, tendo somente um amigo de infância. Mas sua vida muda quando seus pais desaparecem e ele é levado para dimensão Divs, aonde magia e criaturas mágicas circulam por aí normalmente.  E lá, com ajuda de seu melhor amigo e de um charmoso e rebelde Guerreiro,  ele vai fazer de tudo para descobrir o paradeiro de seus pais e duelar com um terrível vilão que está pondo tudo de cabeça para baixo.


Oi minha gente!!! Vamos de Primeiras Impressões!!! E hoje vamos de um livro chamado Irmãos Sttrider e o Herdeiro Perdido, que é um livro de fantasia. A história começa com James, um rapaz de descendência asiática que acredito ser muito bonito pela descrição: cabelo loiro e olhos azuis. Seria um contraste com o seu amigo Jon, que é alto, tem a pele cor de mel, os olhos escuros e o cabelo ruivo como fogo. Que dupla, hein!!!


James foge do castigo imposto pelos seus pais, depois ele ter chegado em casa tarde após um show. Neste dia vai ao encontro de Jon em a uma balada chamada Porão do Rato - que lembra um porão mesmo, pintada de preto e roxo, com um rato saindo de sua toca. É uma sexta-feira e o lugar está fervendo de gente, música alta e tem a presença de muitos jovens, adolescentes em sua maioria e uma figura bem bonita chama atenção de James. Ele sente a presença de alguém, é uma loira, toda de preto, vestindo botas e um espartilho e tem os olhos azuis bem vivos que deixam a atenção do rapaz toda para ela. Mas, a bela moça some em meio às pessoas no bar.


Meninos rebeldes, hora de voltar pra casa! Chegando na casa de James, após descer do táxi, há um clima muito estranho no ar, deixando os dois temerosos. Ao entrar na casa o ambiente está todo estranho, as luzes não ascendem e ao adentrar na casa, o cenário começa a ficar mais estranho ainda, há papeis rasgados bruscamente, roupas fora da gaveta, o colchão do quarto de hospedes fora do lugar. Cadê os pais de James? Após ver toda essa cena, começa a busca pelos pais de James. Os garotos se deparam com uma cena muito chocante no quatro, uma mão caída com dedos mutilados, além de muito sangue pelo local, no chão, nas paredes e James começou a passar mal. A verdade é que a casa de James está sendo atacada por um monstro gigante.


Uma coisa grande, de aparência grotesca, com dentes pontudos saindo boca afora, assustador! Portando um martelo, a criatura esquisita ataca James que ficou paralisado com o susto, e por sorte não foi atingido. Para sua maior surpresa, uma pessoa apareceu para ajudá-lo, a loira que virá no bar mais cedo. Jon se junta à garota misteriosa para derrotar essas coisas. Para fugir de tudo isso, a garota, Catrina, usa seu poder para evocar a presença de algo grande também, um dragão azul com olhos amarelos, chamado Croley, um dragão domesticado. O que deixa James meio perdido sobre tudo o que está acontecendo a sua frente. Jon é Jon Slander, um guerreiro e dá a notícia que James também é (será) um guerreiro, pois ele será treinado. Nos dois primeiros capítulos são bem rápidos os acontecimentos.


O dragão Croley leva todos até a passagem de um portal imenso. Há um mundo do outro lado, ou melhor, acima do céu bem diferente de que James vivia. Enfim, o refúgio será na Grande Cidade, um lugar cheio de montanhas, rios, onde a natureza se faz muito presente. Chegando a cidade James receberá breve orientação sobre o povo que ali vive e como funciona toda essa história de guerreiro.


Achei uma leitura interessante, não é maçante, mas como disse, parece que acontece tudo rapidamente, sem muitas explicações. Os ambientes são descritos com muitos detalhes, o que eu amo, pois logo já imagino tudo em minha mente. Um bom livro para os amantes de fantasia, guerra entre dois mundos, algo nesse sentido. Boa leitura, até a próxima!!!!


PARA LER IRMÃOS STTRIDER E HERDEIRO PERDIDO CLIQUE AQUI!


RESENHA ESCRITA POR: GREISI SILVA

28 anos, administradora e artesã nas horas vagas, apaixonada por leitura e artes, não vivo sem música, poesia e cinema. Descobri que viajar é preciso e comer pipoca é fundamental para se ter boas ideias.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: