terça-feira, 25 de julho de 2017

ENTREVISTA COM LU EVANS, AUTORA DA SÉRIE ZYLGOR

SINOPSE: Zylgor I - A Princesa das Águas: Cã é um garoto órfão de 15 anos cuja vida vira de cabeça para baixo quando um espírito de chuva o conduz a um portal mágico pelo qual ele atravessa para um exótico mundo chamado Zylgor. Sua aventura em Zylgor começa quando ele se vê perdido em um bosque azul. Cã tem apenas duas opções: continuar perdido ou seguir três estranhas criaturinhas. Mas seja qual for a escolha, a sua frente se estenderão situações inusitadas e perigos letais, pois logo descobre que terá de participar de uma arriscada jornada se quiser retornar para seu próprio planeta.


SINOPSE: Zylgor II - O Príncipe Flamejante: Cã descobre para onde Lílat foi levada. Agora sua missão é salvar a princesa. Tal como acontece na primeira parte da série, nosso herói precisa passar por regiões inóspitas, enfrentar inimigos implacáveis e grandes perigos. Dentre os membros de grupo que segue com Cã nessa nova aventura, está Áspio, príncipe dos silfos e portador do cristal fogo. Belo, sagaz, sedutor e poderoso, Áspio tem como objetivo não apenas resgatar a princesa, mas casar com ela e assim ocupar o trono maior das Terras Aquecidas.


Como surgiu a ideia de escrever a série “Zylgor”? Eu já estava querendo escrever algo fazia algum tempo, mas não tinha ideia do que podia ser. Foi quando assisti A História Sem Fim, adaptação para cinema do livro do Michael Ende e gostei muito da ideia de construir um mundo mágico para onde seria transportado um garoto, e ele teria muitas aventuras lá. Comecei a escrever tão logo acabei de ver o filme, mas posso dizer que, apesar da forte inspiração que sofri ao assistir A História Sem Fim, a minha obra tomou um formato próprio, quero dizer, não se tornou uma simples versão, adaptação ou cópia.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Vários anos. Nem sei ao certo. Parei de escrever em muitos momentos porque tinha outras prioridades, ficando muito tempo sem tocar na história. Hoje estou mais disciplinada e me esforçando ao máximo para concluir o último livro da série ainda dentro dos próximos meses.

O que o leitor pode esperar de “Zylgor”? É uma jornada do herói sem dúvida. Não que eu tenha feito isso de propósito, mas acho que essa jornada está enraizada na nossa cultura desde o início da literatura, milhares de anos atrás. Quem lê Gilgamesh, a primeira grande obra de literatura produzida por autores sumérios, vai ver lá essa jornada do herói já estabelecida.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Ariano Suassuna. E não é pelo fato de ele ser conterrâneo meu. Eu o considero um dos maiores nomes da literatura brasileira. Foi dramaturgo, romancista, ensaísta, poeta, professor, secretário de cultura de Pernambuco, além de ser o idealizador do Movimento Armorial. Foi um grande defensor da cultura nordestina até o momento da sua morte. Sua obra, apesar de ter uma roupagem regional, fala de temas universais, e é isso o que mais encanta em Auto da Compadecida; O Romance d’a Pedra do Reino; O Santo e a Porca, e tantas outras. Meu primeiro livro publicado foi uma coletânea de peças teatrais para crianças que escrevi no final dos anos 90. E as peças de teatro de Ariano Suassuna, bem como de Maria Clara Machado, foram as maiores inspirações para aquela obra minha.

Se “Zylgor” pudesse ter uma trilha sonora, qual música você escolheria? Nunca pensei nisso porque geralmente a gente pensa em música quando se está fazendo roteiro para cinema ou teatro. Mas acho que teria de ser uma coisa dramática feita exclusivamente para a história, como acontece nos filmes Star Wars e Harry Potter, por exemplo.

Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Sou autora independente, então fica bem difícil pagar as contas com a venda dos meus livros. Em breve começarei a publicar por editoras nos EUA, mas até lá, continuarei tendo que trabalhar em outras coisas.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Incentivem os autores nacionais dando preferência às obras deles. Cada vez que você paga 50 reais por um livro de autor estrangeiro, morre uma fadinha do dente no Brasil.

Lu Evans nasceu em João Pessoa, PB, onde concluiu o curso de Comunicação Social na Universidade Federal da Paraíba. Trabalho em teatro em atividades como produção e direção, além da criação dos textos encenados pelo Grupo Matraca. Escreveu 20 peças de teatro para crianças que reuniu em um livro intitulado simplesmente de Teatro. A série Zylgor é sua estreia literária no gênero fantasia.

PARA LER "ZYLGOR I - A PRINCESA DAS ÁGUAS" CLIQUE AQUI!

PARA LER "ZYGLOR II - O PRÍNCIPE FLAMEJANTE" CLIQUE AQUI!

PARA LER "ZYLGOR III - A PRINCESA DOS VENTOS' CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: