quinta-feira, 30 de novembro de 2017

RESENHA DO LEITOR: O SEGREDO DOS BECKER

SINOPSE: Sarah sempre acreditou que os pais mantinham Michael isolado do mundo para o seu próprio bem. Até que estranhos acontecimentos começam a perturbá-la e mostrar evidências que a levam a descobrir um passado sombrio, envolvendo seus pais e a verdadeira história por trás do sequestro de Mike. Com a ajuda das únicas pessoas em quem pode confiar, ela embarcará em uma investigação perigosa e cheia de mistérios. Em O Segredo dos Becker, nada é o que parece e somos levados a uma trama complexa, onde cada passo em falso pode resultar em uma queda brusca. E você, está preparado para desvendar esse segredo?


“Qual o motivo de acreditarmos que certas pessoas não podem ser cruéis? Por qual razão pensamos que somos tão espertos a ponto de adivinhar o próximo passo de alguém?”

QUE LIVRO É ESSE?! CADÊ A CONTINUAÇÃO????? Sei que parece muito drama da minha parte, mas tenho que ser mais que sincera com vocês e MEU DEUUUS!!!!! QUE LIVRO! Eu acabei de terminar o livro e ainda não sei se rio; se choro, ou se fico em transe pelo resto da semana mesmo sabendo que não posso fazer isso ou não leio mais nada por alguns meses. E preciso para ontem saber onde vende esse livro físico e quero já a continuação, porque sim, vai ter uma continuação dessa tortura e lhes digo, não é pouca não!


“Então, um dia, percebi que eles não escondiam a verdade apenas das outras pessoas. Eles a escondiam de mim também.”

A autora Alane Brito soube muito bem escrever esse livro, tanto pela sua leitura ser fluida mesmo nos momentos que eu achei mais clichês até nos momentos mais sombrios e cabulosos (partes que até digo que fiquei com receio de ler, pois me sinto muito agoniada ouvindo, vendo ou lendo partes expostas do corpo, cortes e suturas), tanto pelo desenvolvimento da trama, que eu achei maravilhosa. O livro é dividido em duas partes, o que ajuda na dramatização. Nos primeiros cinco capítulos você começa a ficar louco tentando resolver todo o impasse por trás dessa trama, você pensa e repensa possibilidades de aquilo tudo ter um motivo convincente e até monta quebra-cabeças complexos e acha que já resolveu todo o mistério, principalmente quando a autora começa na parte do romance de colegial e aquela coisa toda clichê que estamos cansados de ler em séries de livros de romance adolescente e é ai que todo mundo se engana, até os próprios personagens!


“Fechar aquela porta com ele lá dentro era como abandoná-lo um pouquinho toda vez. Deveria já estar acostumada, mas isso me deprimia sempre. Nunca me habituaria porque, por mais que fosse algo comum em minha vida, jamais pude aceitar como sendo normal. Ansiava por um fim e estava totalmente convencida de que seria eu quem o daria...”

A protagonista Sarah tem que conviver sabendo que Mike tem que se manter isolado na casa de seus pais, pois ninguém pode saber que ele está vivendo ali, pois temem levarem ele de lá por seus pais biológicos e insanos, já que é contada uma história triste e com possivelmente final feliz para ela. Com o aumento de acidentes de Mike, causado por de alguém “descuidado” e por não ter um dos dedos em um pé, Sarah tem certeza absoluta que ele sofre de alguma doença crônica que o faz perder sempre o equilíbrio e se machucar muito.


Preocupada com a amiga que está sempre “fora do ar”, Florence a convence de algo está errado e ela precisa desabafar, mas não imaginava o que se passava na vida de sua amiga e seus segredos, o que até ai não é nada demais. Com a chegada de um amigo de Florence, Noah também acaba sabendo, não por meio de Sarah, o que há de tão sério que ela sempre esteja preocupada e acha que essa história de doença e manter alguém prisioneiro para seu próprio bem está mais do que mal contada e é a vez de Sarah abrir mais sua mente e começar a duvidar da triste historinha que seus pais a vem contando durante anos. Existe romance sim nesse livro, mas a autora sabe muito bem, que para se ter o amor verdadeiro, nós precisamos ser capaz de fazer os maiores sacrifícios, dentro ou fora do possível. Algo que também achei interessante foi à abordagem da fé, até mesmo quem não acredita em um deus será capaz de ver que em determinados momentos da vida de uma pessoa, a fé é a sua última esperança em meio ao caos.


“— Não encontrei nenhuma garantia na Bíblia que afirme que acreditar em Deus isente alguém de sofrer. Se visse os exemplos que têm lá, talvez não estivesse questionando isso.
— Então é tipo uma condição? Quer dizer... “Creia em Deus e sofra as consequências”? — perguntei num tom irônico.
— É claro que não. O que entendo é que o sofrimento vem acompanhado pela condição de estar vivo, e pode ou não sobrevir. Bom, não que me conformar signifique que eu goste, claro.”

A autora está mais de que de parabéns por conseguir construir um enredo tão cheio de drama, mistérios e detalhes. Detalhes imprescindíveis a cada parágrafo, só basta você estar mais que atento e perceber que ela própria está enganando você. A trama é espetacular!


“Algumas pessoas não mudam quando passam por uma experiência ruim, elas mostram quem realmente são.”

Ao todo, dos dias em que conseguir pegar para ler, foram três dias de leitura e creio que se eu tivesse com o livro físico eu o tinha devorado em menos de dois, mas não me impediu de comentar com amigos e namorado sobre minha indignação com os fatos e eu querer saber até onde toda aquela história iria me levar. É um livro de arregalar os olhos e ficar com o choro entalado na garganta! Não tenho melhor descrição, sinceramente, em tempos não pegava um livro tão angustiante e tão tenso (e mórbido) igual a esse! Sem mais palavras! Apenas leiam, porque com toda certeza vou reler para ver se ainda deixei algo escapar. Até a próxima!


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: KAROLINA V. S. MELO (Karol Melo)
21 anos, mora atualmente no interior do Paraná. Depois que descobriu o mundo da ficção se tornou uma leitora compulsiva. Ama músicas que a inspirem, e séries de suspense policial, mas não nega um romance clichê. É escritora no blog Verdades e Poesias e sonha em publicar um livro para chamar de seu.

Um comentário:

  1. Oi, Karol!!! Menina, amei o seu entusiasmo!!kkkk Ame sua resenha, fico feliz demais por você ter gostado tando do meu livro! Vou tentar fazer o melhor possível para a continuação te empolgar (e te afligir) também!!

    Beijão!!!!!

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: