quarta-feira, 9 de maio de 2018

RESENHA DO LEITOR: A QUEDA DE SIEGHARD

SINOPSE: Uma desconhecida força invasora irrompe pelo Grande Mar e ataca a costa protegida pelos soldados da ordem utilizando – se de navios nunca antes vistos. Imensos. Terríveis. Destruidores. Ao mesmo tempo, uma estranha peste se espalha pelas comarcas do reino, cegando e invalidando sua população. Nobres e plebeus se nivelam padecendo do mesmo e misterioso mal. Em uma iniciativa desesperada, Sir Nikoláos de Askalor, o oficial responsável por defender a Ordem, abdica de todos os planos e estratagemas para investir de uma só vez contra os inimigos, sem saber que assim cairia a armadilha preparada por eles. Com suas fileiras dizimadas, o exército da Ordem recua e toma a direção do Domo do Rei para defender seu soberano, Marcus II, O Ousado, cuja vida representa a perpetuação dos valores ordeiros. Para o pequeno grupo, porém composta por Roderick, Petrus, Chikara, Heimerich, Braun, Formiga e Victor Didacus – cada qual personificando um dos sete pecados capitais -, as sucessivas derrotas do reino são apenas o início da maior de todas as aventuras e desventuras.


Uau! Adorei conhecer Bogdana que fica no reino de Sieghard. Vamos lá... Vou explicar tudo com calma! Maretenebrae é um livro maravilhoso de fantasia e aventura... E Sieghard, é um continente meio (muito) medieval. Imagine um lugar cheio locais pare serem exploradores, e ainda com suas próprias particularidades. Um lugar único, ímpar! Tudo muito lindo né? Porém, certo dia chega pelo Grande Mar, invasores desconhecidos e suas embarcações também não são conhecidas pelos moradores locais. Eles já chegam invadindo o belo litoral que até então é protegido pelos combates da Ordem.


"O desembarque fez-se em seguida. Não demorou muito até que arqueiro e homens da infantaria corressem e gritassem de forma ainda mais selvagem. Enquanto flechas eram disparadas repetidas vezes, os infantes subiam com largas passadas, portando armas de todos os tipos e tamanhos, desde as eficientes espadas curtas até os temíveis machados de batalha." p. 20.

Como se não bastasse, além de ser invadido, o povo local está sofrendo com uma epidemia. A tal epidemia causa cegueira e deixa o povo do reino “inválido”. No meio de tantos problemas conhecemos Sir Nikoláos de Askalor. Ele é o cara que manda na Ordem. Nikoláos de Askalor busca usar táticas não comuns, entretanto o povo invasor está preparado também para ataques não convencionais. Vendo que usa ideia para proteger o reino não foi sucedida, Nikoláos recua e segue rumo ao Domo do Rei. Lá ele tem como objetivo proteger o líder de seu reino, o grande Marcus II "O Ousado".


Bem nesse momento da história, alguns guerreiros que estão na missão se destacam. Na verdade, 7 guerreiros: Roderick, Petrus, Chikara, Braun, Victor Didacus, Formiga e Heimerich. Um grupo de heróis que sai em busca da libertação do reino invadido. Os guerreiros além de libertar o seu povo, precisam aprender a superar as diferenças entre eles, pois essa é a única maneira de superar o caminho difícil que eles precisam superar, e assim atingir o objetivo principal da missão: a libertação do reino.


Com um enredo surpreendente, o autor apresenta um universo grandioso e incrível. Enredo bem feito, com personagens bem construídos e com personalidades bem definidas e diferentes entre eles. Foi muito bom acompanhar tudo que aconteceu na história. O livro é muito bom, com um final que me deixou maluca para ler o segundo livro O Flagelo de Dernessus. Bem, vou me despedindo por aqui... Beijos!


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
25 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: